22 janeiro 2009

O sabor do beijo!




Saborear é saber intimamente, saber dentro. Não só saber e sabor vêm do mesmo latim, sapere, como era fino antigamente dizer "esse molho sabe bem" ou "o vinho sabia a frutas e flores", significando ter bom sabor, ter gosto de. E isso faz pensar na palavra língua, que tanto pode estar ligada ao que se fala quanto ao que se saboreia.

O que vem a ser exatamente sabor? Para os ocidentais as definições são um tanto vagas, do tipo "é a impressão que algumas substâncias causam na língua". Já para os chineses, o sabor tem uma função precisa - é uma partícula infinitesimal da natureza que entra na construção de todas as formas, e mais: é aquilo que guarda um movimento dentro da forma. O que levou um mestre a dizer que, na intimidade da boca, escolhemos as formas que se tornarão a nossa forma. Pois, se escolhemos saborear salgado, o efeito será um; se a escolha cair no doce, o efeito será inteiramente outro. Doce, salgado, amargo, ácido e picante: segundo a visão chinesa, são esses os cinco sabores que permeiam tudo. Segundo os aiurvedas, existem mais dois, o insípido e o adstringente, que os chineses englobam no doce e no ácido.

Mas esses sabores não são somente do paladar, são sabores da vida! O poste, a chave de casa, o sapato, o cabo do guarda-chuva têm sabor. Lágrima tem sabor diferente a cada choradinha. Sabor é igualzinho a cor, a som, a cheiro, a sensação na pele: existe independentemente da nossa vontade, nós é que o capturamos ou não através dos sentidos. Você pode dizer que saboreia uma imagem, um momento, uma música, uma declaração de amor e até coisas menos virtuosas, como a vingança: "Vingança é um prato que se come frio", diz o ditado, um tanto indigesto.

A memória pode trazer o sabor amargo de um ressentimento. Já o desejo coloca o sabor do sexo na boca, a propaganda vende um sabor de "quero mais", o texto do artigo na revista pode ser saboroso. E existe coisa pior do que sentir a vida insípida? Pouco agradável, tediosa, monótona: sensaborona. Outra palavra que tem tudo a ver é gosto. Pode ser sinônimo de sabor quando se diz que algo tem gosto de e de prazer quando se conjuga em verbo: gostei. Expande-se para critérios de valor: bom gosto. Ou mau gosto, que é diferente de gosto ruim...

FONTE:Bons Fluídos

6 ...Comente!:

Docinho disse...

nossa
beijar eh muito boom
:)
adorei o texto

bjinhos docinhos

A Madrasta Má disse...

Adoro beijo, principalmente na boca... outro dia numa crise filosófica, fiquei pensando quem inventou beijar na boca, será que já se beijava no tempo das cavernas? pensei... pensei... aff, só sei que é bão...
Bjinhos da Madrasta!

Rafaela disse...

como é bom viajar pela riqueza da língua e descobrir diversas formas de se dizer o que se sente. sou apaixonada pela linguagem, pelos signos e significados... fórmulas matemáticas nunca conseguirão traduzir o sentimento humano.

belo texto... xD

dand[angel]black disse...

O sabor explica mesmo muitas ações humanas, realmente muitas das vivencias são traduzidas pelo sabor, principalmente o beijo.
Adorei o texto.
Abs

FABIANA LIMA disse...

Minha irmanzinha como sempre,arrasa!!
te amo linda.
vc é maldosa!!

Marlinha disse...

ualaaaa